Jaú   •  
   Página Inicial
   Associe-se
   Atendimentos
   Aniversariantes
   Acordos
   Aviso Prévio
   Recolhimento da Contribuição Sindical
   Convenções Coletivas
   Colônia e Clube
   Código de Ética
   Convênios
   Contribuições Online
   Cursos / Palestras
   Diretoria
   Eventos
   Espião Forceps
   Fale Conosco
   Galeria de Fotos
   História
   Homologação
   Links Úteis
   LEI: Auxiliar x Técnico
   Localize
   Notícias
   Seguro de Vida
   Sindicato Forte
   Telefones Úteis
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

550 caso de câncer de mama são detectados em Jaú

SUS faz mais de 6 mil mamografias em Jaú

Fonte: Comércio do Jahu

Ampliar O Hospital Amaral Carvalho (HAC) registrou 550 casos de câncer de mama em 2013. Deste total, 420 detecções foram feitas por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo especialistas, a prevenção e identificação da doença em estágio inicial são fundamentais para garantir a saúde e o bem-estar da mulher.
A mamografia é uma das principais formas de realizar diagnóstico prévio do câncer de mama. Por isso, campanhas têm buscado incentivar o exame entre as mulheres. Em Jaú, o HAC realizou 6.667 mamografias no ano passado via SUS, além de 6 mil atendimentos no setor de mastologia.
Para tentar acabar com a demanda reprimida de mamografias no sistema público do Estado de São Paulo, o governo criou programa que permite às mulheres com idade entre 50 e 69 anos fazer no mês do aniversário, gratuitamente, exames de mamografia sem precisar de pedido médico. A medida, entretanto, tem causado certa polêmica.
O mastologista do HAC João Ricardo Auler Paloschi comenta que, sem dúvida, são necessárias medidas para aumentar a prevenção do câncer de mama entre as mulheres. Para ele, porém, a mamografia deve ser sempre acompanhada de pedido médico, visto que o mastologista é quem pode melhor avaliar a situação da mama.
O programa define que, caso seja detectada alteração no exame ou indício de câncer, a paciente será encaminhada para consulta médica ou para realização de exame complementar. Caso contrário, a mulher será orientada a fazer nova mamografia no prazo de dois anos.
“Acho que estão tentando melhorar a demanda reprimida de diagnóstico precoce do câncer de mama, mas a mamografia sozinha não resolve o problema. É necessário conscientização da mulher, com o autoexame das mamas, e também a participação do médico, que pode realizar exame clínico e avaliar particularmente cada paciente”, ressalta Paloschi.

Rastreamento

O coordenador da Coordenadoria de Gestão de Contratos da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, Eduardo Ribeiro Adriano, diz que o principal objetivo do programa divulgado é fazer rastreamento para diagnóstico precoce do câncer de mama.
Adriano informa que a literatura da área define que a maior incidência de câncer de mama é nas mulheres de 50 a 69 anos e que a mamografia pode ser realizada sem exame médico. “A redução da mortalidade está atrelada ao diagnóstico precoce, então, queremos sensibilizar as mulheres a sempre procurar o exame no mês de seu aniversário.”
Neste ano, apenas as mulheres que nasceram em anos pares poderão realizar o exame sem pedido médico, no mês de seu aniversário. As nascidas em ano ímpar poderão fazer a mamografia em 2015 (leia texto). (Flaviana de Freitas)

Incidência dos 45 aos 59 anos

Entre os casos de câncer de mama detectados em Jaú, a principal incidência está na faixa etária dos 45 aos 59 anos. Dados do Instituto Nacional de Câncer, referentes a 2011, mostram que de 51 casos da doença, 26 ocorreram nessa faixa de idade, o que equivale a 51%.
Normalmente, a maior porcentagem da doença ocorre a partir dos 50 anos. 23,5% das mulheres que têm câncer de mama, no entanto, contraem a doença antes desta idade. Por isso, o mastologista do Hospital Amaral Carvalho (HAC) João Ricardo Auler Paloschi insiste na prevenção constante entre mulheres de todas as idades.
Para ele, é importante ressaltar que a mamografia deve ser feita a partir dos 40 anos e não apenas após os 50. Mulheres com menos de 40 anos que possuem histórico familiar de câncer de mama ou têm nódulo detectado no exame clínico também devem fazer o exame.
“No exame clínico, o nódulo só é detectado quando está com mais de 2 centímetros, normalmente. Por meio da mamografia conseguimos detectar nódulos ainda menores, o que, com certeza, garante melhor desempenho do tratamento para a paciente”, afirma.
Paloschi ainda diz que, quanto maior a idade da mulher, maior o risco de contrair o câncer de mama. “Por isso, é fundamental que mulheres com mais de 40 anos façam a mamografia anualmente, mas sempre com acompanhamento médico. A visita ao mastologista deve ocorrer com regularidade”, acrescenta. (FF)

 
 
Sindicato da Saúde Jaú e Região
Rua Sebastião Ribeiro, 501 - CEP 17.201-180 - Centro - Jaú / SP
Fone (14) 3622-4131 - E-mail: sindsaudejau@uol.com.br