Jaú   •  
   Página Inicial
   Associe-se
   Atendimentos
   Aniversariantes
   Acordos Coletivos
   Aviso Prévio
   Recolhimento da Contribuição Sindical
   Convenções Coletivas
   Colônia e Clube
   Código de Ética
   Convênios
   Contribuições Online
   Cursos / Palestras
   Diretoria
   Eventos
   Espião Forceps
   Fale Conosco
   Galeria de Fotos
   História
   Homologação
   Links Úteis
   LEI: Auxiliar x Técnico
   Localize
   Notícias
   Seguro de Vida
   Sindicato Forte
   Sisnaturcard
   Telefones Úteis
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Governo lança campanha de prevenção contra dengue e chikungunya

Serão divulgadas orientações sobre como evitar a proliferação dos mosquitos e alertas sobre a gravidade das enfermidades.

Nesta terça-feira (4), o ministro da Saúde, Arthur Chioro, anunciou a Campanha Nacional de Prevenção contra o vírus da dengue e também contra a febre chikungunya.

O dia D de mobilização nacional acontece em 6 de dezembro, com reforço do dia 7 de fevereiro de 2015. Serão divulgadas orientações à população sobre como evitar a proliferação dos mosquitos causadores das doenças e alertas sobre a gravidade das enfermidades.

“A campanha adota um tom que busca mostrar que a responsabilidade não é só da prefeitura, é compartilhada com sociedade. É uma responsabilidade de todos. Para intensificar a prevenção, vamos fazer o dia D em fevereiro, época mais quente e mais chuvosa, pra que tenhamos mais resultados no enfrentamento dessas doenças”, afirmou o ministro da Saúde.

Arthur Chioro lembra que o modo de prevenção e transmissão dos vírus da dengue e chikungunya são iguais, portanto, os cuidados devem ser os mesmos.

LIRAa
O Secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa, divulgou os resultados do Levantamento Rápido do Índice de Infestação de Aedes Aegypti (LIRAa).

O número de casos de dengue registrados caiu 61% de janeiro a outubro deste ano, em comparação a 2013. Os número de óbitos causados pela epidemia também diminuiu em relação ao ano passado, caindo de 646 para 379 em 2014, o que representa 41% dos casos.

Neste ano, o levantamento contou com a participação de 1.463 municípios. Deste total, 813 se encontram em situação satisfatória (índice abaixo de 1%); 533 estão em situação de alerta (entre 1 a 3,9%); e 117 apontam situação de risco (acima de 4%).

Veja abaixo os índices de infestação por região e a causa predominante das infestações.


Região Norte

Municípios avaliados: 124

Situação satisfatória: 55

Situação de alerta: 52

Situação de Risco: 17

Principais Causas: Acúmulo de lixo


Região Nordeste

Municípios avaliados: 727

Situação satisfatória: 227

Situação de alerta: 354

Situação de Risco: 96

Principais Causas: Armazenamento de água


Sudeste

Municípios avaliados: 426

Situação satisfatória: 335

Situação de alerta: 96

Situação de Risco: 1

Principais Causas: Depósito domiciliar (pratos de plantas, calhas, etc)


Centro-Oeste

Municípios avaliados: 134

Situação satisfatória: 20

Situação de alerta: 1

Principais Causas: Abastecimento de água


Sul

Municípios avaliados: 52

Situação satisfatória: 33

Situação de alerta: 17

Situação de Risco: 2

Principais Causas: Acúmulo de lixo



Chikungunya
Até outubro de 2014, foram registrados 824 casos de chikungunya no Brasil, sendo 39 importados. São 330 casos em Oiapoque, 371 em Feira de Santana, 82 em Riachão do Jacuípe, 1 em Matozinho e 1 em Campo Grande. O Lira também mostra que 47 países apresentam hoje casos de chikungunya.

A febre chikungunya é uma doença causada por vírus do gênero Alphavirus, transmitida por mosquitos do gênero Aedes, sendo o Aedes Aegypti (transmissor da dengue) e o Aedes Albopictus os principais vetores.

Os sintomas da doença são febre alta, dor muscular e nas articulações, cefaleia e exantema e costumam durar de três a 10 dias. A letalidade da chikungunya, segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), é rara, sendo menos frequente que nos casos de dengue.

Fonte: Ministério da Saúde

 
 
Sindicato da Saúde Jaú e Região
Rua Sebastião Ribeiro, 501 - CEP 17.201-180 - Centro - Jaú / SP
Fone (14) 3622-4131 - E-mail: sindsaudejau@uol.com.br