Jaú   •  
   Página Inicial
   Associe-se
   Atendimentos
   Aniversariantes
   Acordos
   Aviso Prévio
   Recolhimento da Contribuição Sindical
   Convenções Coletivas
   Colônia e Clube
   Código de Ética
   Convênios
   Contribuições Online
   Cursos / Palestras
   Diretoria
   Eventos
   Espião Forceps
   Fale Conosco
   Galeria de Fotos
   História
   Homologação
   Links Úteis
   LEI: Auxiliar x Técnico
   Localize
   Notícias
   Seguro de Vida
   Sindicato Forte
   Telefones Úteis
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Contas de água têm valores fora do padrão de consumo

As contas de água e esgoto têm preocupado moradores de Jaú. A reportagem apurou que, no último mês, diversos imóveis receberam contas do Serviço de Água e Esgoto do Município de Jaú (Saemja) com preços fora do padrão de consumo.
O aumento no valor do consumo é variado. O Comércio entrou em contato com o Saemja, mas, segundo a autarquia, há diversas causas que levam ao maior preço da conta de água. Para o órgão, a maioria dos valores elevados ocorre por causa de vazamentos (leia texto).
Ainda assim, moradores não encontram justificativa. Em alguns casos, o Saemja chegou a cobrar, no último mês, valor seis vezes mais alto do que a média observada em 2013. Este é o caso da aposentada Maria Izabel Thomaz Blassioli, 70 anos, moradora da Vila Hilst. Ela costuma gastar o valor mínimo, mas, em dezembro, recebeu conta de R$ 178.
“É um aumento inesperado, reclamei no Saemja e eles agendaram vistoria. Mas como não apareceram, voltei no órgão. Depois de muita briga, eles abaixaram o valor, mas tive que ir até o Saemja três vezes para provar que não havia vazamento e que o preço estava errado”, conta Maria Izabel.
Moradora do Maria Luiza 4, que não quis divulgar o nome, informa que também teve problemas com a autarquia no último mês. Sua conta veio quase R$ 100, sendo que o gasto, normalmente, é de R$ 30. “Tive que brigar no Saemja, então, eles abaixaram para R$ 56. Mas, ainda assim, não é o valor que eu costumo gastar”, relata a moradora.
No Jardim Santo Onofre, a aposentada Creusa Schiavon Calegari, 47 anos, recebeu conta de R$ 944 neste mês. A vistoria do Saemja foi ao local e constatou vazamento na calçada da residência.

Restaurante

O aumento do valor das contas de água não tem ocorrido apenas nas residências do Município. Proprietários de restaurantes também estão com o mesmo problema e contam que, em janeiro, receberam conta com preço muito elevado.
Proprietária de restaurante no Centro, Elaine Aparecida de Almeida, 38 anos, recebeu conta de R$ 1.973 para ser paga em fevereiro. Mesmo com o alto gasto de água no estabelecimento, o valor cobrado costumava girar em torno de R$ 400.
“Fomos ao Saemja, mas, no local, eles disseram que o valor está correto. No último mês, entretanto, eles não fizeram leitura do hidrômetro e quando é pela média não muda o valor da conta. Aqui não tem vazamento aparente, não sei por que veio neste valor”, acrescenta Elaine. (flaviana de freitas)

Incidência de vazamentos é elevada

De acordo com o superintendente do Serviço de Água e Esgoto do Município de Jaú (Saemja), Paulo Ferrari, os motivos que levam a preços maiores nas contas de água são diversos. Ele ressalta, entretanto, que, na maioria dos casos, a alta é ocasionada por vazamentos.
“Houve três casos recentes que foram divulgados, mas nos três fizemos vistoria e vimos que havia vazamento enorme. Normalmente, o aumento nas contas ocorre por este motivo”, relata Ferrari.
O superintendente ainda diz que pode haver outros casos com erro de leitura, por isso é importante a pessoa ir ao atendimento do Saemja. “Fazemos 55 mil leituras por mês, é impossível não errar. Também temos interesse em esclarecer a discrepância nas contas, queremos saber por que alguém que gasta R$ 30 sempre passa a gastar em um único mês R$ 200”, diz.
Para Ferrari, são raras as situações em que há aumento nas contas sem ter havido vazamento ou erro de leitura. Nestes casos, ele diz que as pessoas devem ser sinceras com o fiscal de vistoria. “Não podemos abaixar o preço das contas sem justificativa”, acrescenta Ferrari.
O diretor técnico do Saemja, Francisco Martimiano, explica que, quando não há motivo aparente para o maior valor na conta de água, a autarquia instala no hidrômetro da residência aparelho que registra todo o consumo em 24 horas. “Assim, conseguimos verificar o perfil do imóvel para ver se houve erro na conta”, ressalta Martimiano.
Pessoas com problemas na conta de água devem dirigir-se à unidade do Saemja, localizada na Rua Paissandu, 455, no Centro. O horário de atendimento à população é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. (FF)

Problema não resolvido

"No dia 6 de janeiro, fui uma das pessoas que receberam conta do Serviço de Água e Esgoto do Município de Jaú (Saemja) com valor fora do padrão de consumo. A minha conta veio com preço de R$ 198, sendo que normalmente o gasto mensal é de R$ 30.
Alguns dias depois, especificamente no dia 13 de janeiro, fui ao setor de atendimento do Saemja para reclamar do alto valor cobrado. No local, atendente agendou vistoria, com prazo máximo de sete dias, na residência onde moro.
O fiscal do Saemja foi à minha casa no dia seguinte, pela manhã. Ele realizou a vistoria e constatou que não havia vazamentos. Preencheu um formulário, entregou a minha cópia e disse para eu voltar ao setor de atendimento do Saemja.
No órgão, apresentei o formulário da vistoria, no qual constava que não havia vazamentos no imóvel. Ainda assim, o valor da conta não foi abaixado. Após consultar a diretoria do Saemja, a atendente pediu para eu esperar a vinda da próxima conta – apenas em fevereiro – e retornar ao Saemja para tentar novamente resolver o problema." (Flaviana de Freitas)

 
 
Sindicato da Saúde Jaú e Região
Rua Sebastião Ribeiro, 501 - CEP 17.201-180 - Centro - Jaú / SP
Fone (14) 3622-4131 - E-mail: sindsaudejau@uol.com.br