Jaú   •  
   Página Inicial
   Associe-se
   Atendimentos
   Aniversariantes
   Acordos Coletivos
   Aviso Prévio
   Recolhimento da Contribuição Sindical
   Convenções Coletivas
   Colônia e Clube
   Código de Ética
   Convênios
   Contribuições Online
   Cursos / Palestras
   Diretoria
   Eventos
   Espião Forceps
   Fale Conosco
   Galeria de Fotos
   História
   Homologação
   Links Úteis
   LEI: Auxiliar x Técnico
   Localize
   Notícias
   Seguro de Vida
   Sindicato Forte
   Sisnaturcard
   Telefones Úteis
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Dilma e Aécio vão ao segundo turno e reavivam polarização entre PT e PSDB


Presidente tem menos votos no primeiro turno do que em 2010, e senador tucano passa Marina com resultado surpreendente.

A presidente Dilma Rousseff (PT) enfrentará o senador mineiro Aécio Neves (PSDB) no segundo turno das eleições presidenciais, marcado para o próximo dia 26. O candidato tucano ultrapassou na reta final da campanha a ex-senadora Marina Silva (PSB), que parecia uma ameaça à reeleição de Dilma quando entrou tardiamente na corrida presidencial, em agosto.

Dilma chegou na frente, mas seu desempenho foi pior do que no primeiro turno das eleições de 2010. A presidente recebeu 42% dos votos válidos neste domingo (5). Foi o pior resultado obtido pelo líder de uma disputa presidencial desde 1989. Há quatro anos, Dilma obteve 47% dos votos no primeiro turno.

Tratado com descrédito até poucos dias atrás, Aécio saiu das urnas com 34% dos votos, mais do que os 33% obtidos há quatro anos pelo ex-governador José Serra, adversário de Dilma em 2010. Marina conseguiu 21%, mais do que os 19% que alcançou em 2010, quando concorreu pelo PV.

Aécio obteve votação muito superior à que os institutos de pesquisa indicavam na véspera da eleição. Segundo o Datafolha, o candidato tucano tinha 26% das intenções de votos válidos no sábado. Na avaliação do instituto, a diferença sugere que a arrancada na reta final fez muitos eleitores optarem por Aécio na última hora no domingo.

O confronto entre Dilma e Aécio transformará a eleição presidencial deste ano em mais um capítulo da histórica rivalidade entre o PT e o PSDB, os partidos políticos que controlaram o poder central nas últimas duas décadas.

Esta será a sexta eleição presidencial em que petistas e tucanos duelam. Os tucanos ganharam duas, com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), principal fiador da candidatura de Aécio. Os petistas venceram três vezes, com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010) e Dilma.

A polarização entre petistas e tucanos era um dos alvos principais de Marina, que assumiu a candidatura após a morte do ex-governador Eduardo Campos e tentou se viabilizar como uma terceira força capaz de renovar o sistema político brasileiro, no embalo das manifestações que agitaram o país em 2013.

Nos próximos dias, Dilma e Aécio começarão a disputar o espólio eleitoral de Marina. Segundo o Datafolha, 59% dos eleitores que a apoiavam na véspera da eleição pretendiam votar em Aécio se ele passasse para o segundo turno. Outros 24% dos marineiros disseram preferir Dilma.

Três de cada dez votos obtidos por Aécio foram paulistas. Os tucanos mandam em São Paulo há quase duas décadas, e o governador Geraldo Alckmin (PSDB) foi reeleito domingo. O Nordeste garantiu a liderança de Dilma. De cada dez votos que ela obteve, quatro vieram da região.

Os petistas impuseram uma derrota aos tucanos em Minas Gerais. No Estado que Aécio governou por dois mandatos, o ex-ministro Fernando Pimentel (PT) foi eleito.

Fonte: Folha de S.Paulo

 
 
 
Sindicato da Saúde Jaú e Região
Rua Sebastião Ribeiro, 501 - CEP 17.201-180 - Centro - Jaú / SP
Fone (14) 3622-4131 - E-mail: sindsaudejau@uol.com.br