Jaú   •  
   Página Inicial
   Associe-se
   Atendimentos
   Aniversariantes
   Acordos Coletivos
   Aviso Prévio
   Recolhimento da Contribuição Sindical
   Convenções Coletivas
   Colônia e Clube
   Código de Ética
   Convênios
   Contribuições Online
   Cursos / Palestras
   Diretoria
   Eventos
   Espião Forceps
   Fale Conosco
   Galeria de Fotos
   História
   Homologação
   Links Úteis
   LEI: Auxiliar x Técnico
   Localize
   Notícias
   Seguro de Vida
   Sindicato Forte
   Sisnaturcard
   Telefones Úteis
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Casos não-urgentes criam caos na Santa Casa de Jaú

FONTE: COMÉRCIO DO JAHU

A procura excessiva e desnecessária pelo pronto-socorro da Santa Casa de Jaú saturou o hospital – que ontem não possuía nem sequer macas para transportar os pacientes. Doentes recebem atendimento nos corredores, enquanto nas salas de consulta há pessoas que deveriam estar em quartos. O contrassenso reside em 13 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), inaugurados em março, que ainda aguardam credenciamento e estão fechados.

O diretor clínico da filantrópica, Luiz Alfredo Teixeira Junior, convocou a imprensa pela manhã para uma visita às alas do PS. O médico estima que 85% dos pacientes que procuram o hospital poderiam ter o problema resolvido em unidades básicas da Prefeitura. Além disso, usuários correm risco de contaminação ao se expor desnecessariamente.

“Faço apelo para que só venham ao hospital casos de urgência e emergência. As pessoas estão expondo seus filhos a riscos, misturando-os com pacientes graves”, pediu o diretor.

Enfermos com suspeitas consistentes de gripe A estão isolados, porém, outros que também possuem os sintomas ainda não foram para isolamento. Três pessoas já morreram em Jaú por causa do vírus H1N1, e exame de um óbito aguarda confirmação (leia texto).

Ontem, conforme Teixeira Junior, não haveria condições de atender a uma situação grave, como um acidente de grandes proporções.

Como medidas emergenciais, as cirurgias eletivas (sem urgência) foram todas suspensas e a direção clínica pediria a reabertura do pronto-socorro infantil, que funcionava ao lado do adulto e foi fechado em fevereiro. “Eu preciso daquele espaço para dar um pouco mais de conforto e ter alguma coisa a mais para oferecer. Se chegar um acidentado, não tenho onde por”, disse.

No dia 1º de julho, termina o prazo estabelecido em acordo judicial pelo qual a Prefeitura terá de dispor de pronto-socorro municipal. O secretário de Saúde de Jaú, Gilson Scatimburgo, disse que o pacto terá de ser prorrogado, uma vez que o PS próprio não será finalizado em tempo hábil (leia texto).

Credenciamento

A assessoria de imprensa do Ministério da Saúde atribuiu ao Município ou ao Estado a responsabilidade pelo credenciamento dos leitos da UTI. A assessoria da Secretaria de Estado da Saúde informou que a atribuição é do governo federal e que o pedido já foi feito. “Assim que for liberado, os leitos entrarão em funcionamento”, informa a nota.

Em 2012, conforme dados obtidos pela Lei do Acesso à Informação, a União repassou R$ 18,3 milhões à entidade. No ano passado, o deficit acumulado em oito meses era de R$ 500 mil. (João Guilherme D"Arcadia e Alcir Zago)

 
 
Sindicato da Saúde Jaú e Região
Rua Sebastião Ribeiro, 501 - CEP 17.201-180 - Centro - Jaú / SP
Fone (14) 3622-4131 - E-mail: sindsaudejau@uol.com.br