Jaú   •  
   Página Inicial
   Associe-se
   Atendimentos
   Aniversariantes
   Acordos
   Aviso Prévio
   Recolhimento da Contribuição Sindical
   Convenções Coletivas
   Colônia e Clube
   Código de Ética
   Convênios
   Contribuições Online
   Cursos / Palestras
   Diretoria
   Eventos
   Espião Forceps
   Fale Conosco
   Galeria de Fotos
   História
   Homologação
   Links Úteis
   LEI: Auxiliar x Técnico
   Localize
   Notícias
   Seguro de Vida
   Sindicato Forte
   Telefones Úteis
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Profissionais da saúde do Mercosul poderão trabalhar no Brasil sem revalidação do diploma

Os profissionais da área da saúde da capital mato-grossense estão revoltados com aprovação da portaria que autoriza o exercício da profissão de profissionais formados no Mercosul sem revalidação do diploma.


Profissionais da saúde do Mercosul poderão trabalhar no Brasil sem revalidação do diploma

Os profissionais da área da saúde da capital mato-grossense estão revoltados com aprovação da portaria que autoriza o exercício da profissão de profissionais formados no Mercosul sem revalidação do diploma.

Os profissionais falam que agora além do Programa Mais Médicos, vai ter Mais Enfermeiros, Mais Fisioterapeutas, Mais Dentistas, Mais Farmacêuticos, Mais Bioquímico, Mais Nutricionista, Mais Psicólogo, Mais Fonoaudiólogo, todos oriundos das instituições do Mercosul. De acordo com os profissionais, o problema fica na formação, na grade curricular de cada região, para a categoria todos teriam que passar analise de currículos, validação de títulos que geralmente é realizado por uma instituição federal, como também, por um período de adequação ao sistema de saúde brasileiro.

A categoria alega que em muitos casos não falta profissional, como é o caso do Pronto Socorro de Cuiabá, eles informaram que o que falta é remuneração adequada e que o pagamento seja realizado, coisa que a Prefeitura de Cuiabá, não vem fazendo, já que muitos profissionais de vários setores de especialização alegam que o salario está atrasado e que desde Dezembro de 2013 que o repasse da Prefeitura não é realizado para Santa Casa, que apenas os concursados estão com os salários em dia, os contratados que são a maioria estão com os ordenados atrasados.

A categoria afirma que os problemas surgiram a curto, médio e longo prazo, tanto para a população que será atendida por pessoas que não passaram por nenhum tipo de avaliação ou adequação, quanto para os profissionais brasileiros, já que corre o risco de defasagem na valorização profissional, já que na maioria dos países do Mercoul, os salários dos profissionais são inferiores aos dos profissionais do Brasil.

Até o momento os Conselhos e Sindicatos das categorias não informaram sobre qual atitude será tomada, mas deixaram bem claro que estão insatisfeitos com a homologação da presidente, que está sendo vinculada pelas mídias sociais com a seguinte frase: “O PT está acabando com os profissionais da saúde do Brasil”.

FONTE: 24 Horas News

 
 
Sindicato da Saúde Jaú e Região
Rua Sebastião Ribeiro, 501 - CEP 17.201-180 - Centro - Jaú / SP
Fone (14) 3622-4131 - E-mail: sindsaudejau@uol.com.br