Jaú   •  
   Página Inicial
   Associe-se
   Atendimentos
   Aniversariantes
   Acordos
   Aviso Prévio
   Recolhimento da Contribuição Sindical
   Convenções Coletivas
   Colônia e Clube
   Código de Ética
   Convênios
   Contribuições Online
   Cursos / Palestras
   Diretoria
   Eventos
   Espião Forceps
   Fale Conosco
   Galeria de Fotos
   História
   Homologação
   Links Úteis
   LEI: Auxiliar x Técnico
   Localize
   Notícias
   Seguro de Vida
   Sindicato Forte
   Telefones Úteis
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

SANTA CASA DE JAÚ ADMITE ROMPER CONVÊNIO COM PREFEITURA PARA ATENDIMENTO NO PRONTO-SOCORRO

FONTE: COMÉRCIO DO JAHU

A Santa Casa de Jaú notificou a Prefeitura informando que o hospital não tem interesse em renovar convênio com o Município a partir de julho – quando vence o contrato que garante o funcionamento do pronto-socorro da filantrópica. O hospital alega que o Poder Executivo não cumpriu acordo firmado ainda no ano passado, segundo o qual a administração criaria alternativa para atender aos casos de menor complexidade, que sobrecarregam o PS.

O documento assinado pela mesa administrativa e por 12 profissionais do conselho médico aponta que a entidade está recepcionando casos que em tese são de atribuição da rede básica, “sendo que a estrutura física e de recursos humanos do hospital não comportam o excesso de pacientes/procedimentos ambulatoriais”.

O “ultimato” da irmandade se dá após tentativas frustradas de fazer a Prefeitura manter pronto-atendimento próximo à Santa Casa, o que supriria parte da demanda excedente do hospital.

De acordo com o provedor Alcides Bernardi Júnior, o problema não é de ordem financeira. A entidade recebe R$ 825 mil/mês para manter os serviços. “O atendimento está sobrecarregado”, afirma. “Nosso contrato com a Prefeitura é para atendermos urgência e emergência, e queremos que o contrato seja cumprido.”

Caso o convênio não seja renovado, a filantrópica passará a atender a “portas fechadas”, ou seja, apenas casos referenciados via Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), por exemplo.

O chefe do pronto-socorro infantil, José Aparecido Segura Ruiz, afirmou à noite que a epidemia de dengue na cidade contribuiu para a exaustão das potencialidades do hospital. “A Santa Casa não tem condições de atender 1,2 mil consultas por dia enquanto os postos de saúde não atendem a baixa complexidade”, disse o médico.

Tensão
O tensionamento entre a administração e o hospital é semelhante à queda de braço iniciada no início da gestão do prefeito Rafael Agostini (PT).

A notificação extrajudicial deu entrada às 12h57 de ontem na Prefeitura e foi remetida ao chefe do Executivo, ao secretário de Saúde, Gilson Scatimburgo, e ao Ministério Público.

Por meio do Departamento de Comunicação, a Prefeitura informou que mantém todos os compromissos rigorosamente em dia com a Santa Casa, conforme acordado anteriormente com a direção do hospital. ((João Guilherme D"Arcadia e Alcir Zago)

http://www.comerciodojahu.com.br/

 
 
Sindicato da Saúde Jaú e Região
Rua Sebastião Ribeiro, 501 - CEP 17.201-180 - Centro - Jaú / SP
Fone (14) 3622-4131 - E-mail: sindsaudejau@uol.com.br