Jaú   •  
   Página Inicial
   Associe-se
   Atendimentos
   Aniversariantes
   Acordos
   Aviso Prévio
   Recolhimento da Contribuição Sindical
   Convenções Coletivas
   Colônia e Clube
   Código de Ética
   Convênios
   Contribuições Online
   Cursos / Palestras
   Diretoria
   Eventos
   Espião Forceps
   Fale Conosco
   Galeria de Fotos
   História
   Homologação
   Links Úteis
   LEI: Auxiliar x Técnico
   Localize
   Notícias
   Seguro de Vida
   Sindicato Forte
   Telefones Úteis
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Prefeito Agostini diz que UPA é prioridade e descarta Pronto Socorro Municipal

FONTE: JAUNEWS

Nesta quinta-feira (31), às 10h, na Câmara, acontece a primeira audiência pública para discussão do Orçamento de Jaú para 2014, previsto em R$ 391 milhões. Nele não consta dotação para a instalação do Pronto Socorro Municipal no ano que vem e o vereador Ronaldo Formigão (DEM) disse que vai apresentar emenda nesse sentido e em tom de desafio colegas acrescentou que quer ver quem terá coragem para rejeita-la. O prefeito Rafael Agostini (PT), no entanto, já adiantou que não haverá instalação do PS Municipal em 2014, o que significa que a emenda de Formigão deverá ser rejeitada pela base aliada.

“Existe uma máxima na gestão pública que quem não entende de gestão pública acaba querendo dar palpite sem saber o que está fazendo. O fato é que não é possível custear antes de terminar de investir. Nós temos UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) para construir no ano que vem; temos UPA para equipar, unidade básica de saúde para terminar, concurso para fazer, contrapartida de obras para terminar. Primeiro vamos fazer o investimento necessário para termos novos equipamentos de saúde. Se abre o custeio antes tem uma despesa fixa e continuada e não tem orçamento para fazer as obras”, disse o prefeito Agostini.

Conforme Agostini, a UPA foi compromisso de sua campanha do ano passado, já a reabertura do Pronto Socorro Municipal, não. “Primeiro vamos fazer a UPA. O Pronto Socorro é depois disso. Meu programa de governo previa construir unidade de pronto atendimento e resolver os problemas da rede básica. Para fazer a UPA custa R$ 3,5 milhões só de obras, depois precisa comprar equipamentos, contratar funcionários”, observou o prefeito.

Agostini disse, ainda, que o vereador deveria saber como se administra uma cidade e como se administra a saúde. “Não é assim, fazer emenda porque deu na cabeça dele. Vamos conduzir as coisas de forma profissional, planejada, de forma técnica, não de forma política”, finalizou.

Sobre a sugestão do vereador José Aparecido Segura Ruiz (PTB) de se instalar um pronto-atendimento em frente da Santa Casa, na praça Jorge Tibiriçá (parquinho), o prefeito Agostini considerou-a “muito boa”. “Estamos estudando isso, mas primeiro vamos resolver a questão da construção da UPA e equipa-la.Passo a passo é que vamos chegando lá. Depois vamos pensar em ampliação. Não podemos desviar o planejamento que foi feito”, completou.

Agostini disse que também estuda sugestão do vereador Paulo Gambarini (PROS) de criar um Refis para facilitar o pagamento de contas atrasadas pelos moradores que devem ao Saemja. “Mas este será o único Refis. Não haverá mais nos outros anos”, adiantou.

 
 
Sindicato da Saúde Jaú e Região
Rua Sebastião Ribeiro, 501 - CEP 17.201-180 - Centro - Jaú / SP
Fone (14) 3622-4131 - E-mail: sindsaudejau@uol.com.br