Jaú   •  
   Página Inicial
   Associe-se
   Atendimentos
   Aniversariantes
   Acordos
   Aviso Prévio
   Recolhimento da Contribuição Sindical
   Convenções Coletivas
   Colônia e Clube
   Código de Ética
   Convênios
   Contribuições Online
   Cursos / Palestras
   Diretoria
   Eventos
   Espião Forceps
   Fale Conosco
   Galeria de Fotos
   História
   Homologação
   Links Úteis
   LEI: Auxiliar x Técnico
   Localize
   Notícias
   Seguro de Vida
   Sindicato Forte
   Telefones Úteis
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Workshop debate unificação de pauta de reivindicações para a categoria da saúde


19/02/2016

  

Cerca de 300 dirigentes sindicais da saúde se reúnem no 1º Workshop Paulista de Organização Sindical, em Atibaia. O objetivo do encontro é embasar todos os dirigentes sindicais para as negociações coletivas que os 13 sindicatos filiados à Federação dos Trabalhadores da Saúde do Estado de São Paulo estão enfrentando ou vão enfrentar em 2016. 

Os debates começaram no dia 17 e se estendem até 20 de fevereiro, em Atibaia. Durante este período, serão debatidos assuntos de relevância para a área da saúde, especialmente a unificação da pauta de reivindicações no Estado de São Paulo.


A proposta é organizar os 13 sindicatos filiados à Federação paulista da Saúde e, em conjunto, buscar melhores condições para a categoria e para a sociedade. "Para nós, trabalhadores da saúde, é importante a unificação de uma pauta, uma vez que será cerca de 600 trabalhadores lutando juntos por uma mesma causa e isto fortalece a negociação”, destaca o presidente da Federação paulista da Saúde, Edison Laércio de Oliveira.


Na abertura dos trabalhos, Edison lembra que já foi elaborada uma pauta de reivindicações única. “Queremos encontrar formas para unificar a data-base da categoria e também uma pauta de reivindicações para todos. Com isto, teremos muito mais chances na hora de uma negociação, principalmente em um momento tão conturbado pelo qual passa o País”, diz Edison Laércio de Oliveira.


Leide Mengatti, presidente do Sinsaúde Campinas e Região, o sindicato anfitrião deste evento, destacou que este encontro é importante para que todos unam forças e trabalhem juntos. “Estamos aqui para somar e para avançar na luta da categoria no Estado, mas tudo isso não para aqui. Nossa luta deve continuar em nossas ações para fazer da categoria da saúde o melhor lugar do pódio, já que estamos em ano de Olimpíadas”, diz.  
Dando sequência, Dr. Raimundo Simão de Melo, que por anos trabalhou no Ministério Público do Trabalho (MPT) e hoje é assessor da Federação, falou sobre as negociações de acordos e convenções coletivas e alerta os sindicalistas de que num momento tão difícil da economia, o sindicato tem uma carga muito pesada na hora de negociar um bom acordo para os trabalhadores. “Mas não se pode fraquejar. O sindicato tem que mobilizar os trabalhadores de sua base, lutar e fazê-los entender que juntos são mais fortes para fazer um bom acordo.”
Ele ressalta que os sindicatos têm que dar trabalho para o MPT quando não há acordo entre sindicato e patrão. Tem que discutir, tem que confrontar e se posicionar para defender os representados. “Nem sempre o MP consegue acordo entre as partes e aí fica difícil, porque o MP entende que tem que haver acordo”, diz. 
Para Raimundo, a Súmula 227, que garante as cláusulas sociais, está servindo para acomodar o dirigente sindical, que não faz questão de negociar, visto que a referida súmula garante o que já existe no acordo/convenção anterior. “Isto não pode acontecer. É preciso negociar sempre”, diz.  

O economista do Dieese, na subseção da Federação paulista da Saúde, Luiz Fernando Rosa, também fez panorama sobre a conjuntura econômica do País e compartilha da mesma opinião de Raimundo Simão quanto à negociação de um acordo ou convenção para a categoria. Segundo ele, o caminho para o País será da crise é demorada. “Precisa reavaliar caminhos com um plano econômico. Isto não resolve o problema agora, mas é a solução para começar a sair da crise”, sinaliza ele.


Pauta de reivindicações

Pensando na unificação da data-base e pauta de reivindicações, Luiz Fernando Rosa, compilou, a pedido da Federação, todas as cláusulas das convenções, que no total são 25, e uniu as mais benéficas para os trabalhadores, tornando uma única pauta. A unificação da pauta foi o tema que compôs a Carta de São Paulo, documento aprovado por todos os dirigentes sindicais no 17º Encontro Paulista da Saúde junto com todos os dirigentes sindicais, em novembro do ano passado.

VEJA MAIS FOTOS EM:

http://www.sinsaude.org.br/portal/site/galeriadefotos.aspx?idGaleria=929

 
 
Sindicato da Saúde Jaú e Região
Rua Sebastião Ribeiro, 501 - CEP 17.201-180 - Centro - Jaú / SP
Fone (14) 3622-4131 - E-mail: sindsaudejau@uol.com.br