Jaú   •  
   Página Inicial
   Associe-se
   Atendimentos
   Aniversariantes
   Acordos Coletivos
   Aviso Prévio
   Recolhimento da Contribuição Sindical
   Convenções Coletivas
   Colônia e Clube
   Código de Ética
   Convênios
   Contribuições Online
   Cursos / Palestras
   Diretoria
   Eventos
   Espião Forceps
   Fale Conosco
   Galeria de Fotos
   História
   Homologação
   Links Úteis
   LEI: Auxiliar x Técnico
   Localize
   Notícias
   Seguro de Vida
   Sindicato Forte
   Sisnaturcard
   Telefones Úteis
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Prefeitura de Pederneiras revê contrato com PS da Santa Casa


10/01/2017


Prefeito Vicente Minguili, secretários e membros da Sta. Casa discutem propostas para o PS

Segundo o Executivo, acordo fechado com a Santa Casa de Pederneiras no final do ano passado previa a redução dos valores para 2017

FONTE: JC BAURU

Pederneiras - A Prefeitura de Pederneiras (26 quilômetros de Bauru) está revendo contrato assinado no fim de 2016 entre município e Santa Casa para a gestão do Pronto-Socorro (PS). O prefeito Vicente Minguili alega que houve redução de R$ 2 milhões nos repasses para 2017 e que isso poderia inviabilizar o atendimento de urgência e emergência na cidade. Proposta emergencial foi apresentada ao hospital para análise até que novo acordo seja fechado.

Segundo o Executivo, o governo anterior repassava por mês à Santa Casa R$ 589 mil para a manutenção do PS, o que dava o total de pouco mais de R$ 7 milhões por ano. No dia 28 de dezembro, convênio assinado entre as partes para 2017 reduziu repasse para R$ 5 milhões, com proposta de pagamento de pouco mais de 50% desse total entre janeiro e abril e, a partir de maio, transferência mensal de R$ 300 mil.

Na avaliação de Minguili, houve uma "falha" no convênio que precisa ser revista. "Esta primeira semana de governo foi realmente para nos inteirarmos das situações e, quando nos deparamos com o convênio da Santa Casa, levamos um susto", diz. "A Santa Casa sempre foi prioridade pra nós e não vamos aceitar que, por causa de política, o Pronto Socorro seja fechado".

Na última quinta-feira (5), o prefeito reuniu-se com o provedor da entidade, Herbert Viegas, com a administradora, Maria Cristina Romano, e com o membro da mesa administrativa José Cláudio Granja para discutir a situação. No encontro, Minguili propôs à Santa Casa uma adequação no plano de trabalho e no cronograma de desembolso para que o PS não corra o risco de fechar as portas.

A ideia é repassar ao hospital, em janeiro e fevereiro, os mesmos R$ 589 mil que eram repassados em 2016 até que uma nova alternativa seja avaliada para os demais meses de 2017. De acordo com a prefeitura, a Irmandade da Santa Casa se comprometeu a apresentar ao município, no prazo de dez dias, documentos comprovando onde o dinheiro repassado para o PS está sendo utilizado.

Procurada pela reportagem, a administradora da Santa Casa confirmou o teor da reunião e informou que a proposta apresentada pelo atual prefeito seria discutida com os demais membros da Mesa Administrativa em reunião convocada para a noite desta segunda-feira (9). Romano explicou, ainda, que a entidade está avaliando qual a melhor solução para que possa continuar prestando um serviço de qualidade à população.

 
 
Sindicato da Saúde Jaú e Região
Rua Sebastião Ribeiro, 501 - CEP 17.201-180 - Centro - Jaú / SP
Fone (14) 3622-4131 - E-mail: sindsaudejau@uol.com.br