Jaú   •  
   Página Inicial
   Associe-se
   Atendimentos
   Aniversariantes
   Acordos
   Aviso Prévio
   Cálculo Aposentadoria
   Convenções Coletivas
   Colônia, Clube e Rancho
   Código de Ética
   Convênios
   Contribuições Online
   Cursos / Palestras
   Diretoria
   Eventos
   Espião Forceps
   Fale Conosco
   Galeria de Fotos
   História
   Homologação
   Links Úteis
   LEI: Auxiliar x Técnico
   Localize
   Notícias
   Seguro de Vida
   Telefones Úteis
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Centrais do Mercosul denunciam reforma trabalhista brasileira


A reforma trabalhista foi objeto de denúncia por parte das centrais sindicais dos países do Mercosul que fazem parte da Coordenadoria das Centrais Sindicais do Cone Sul (CCSCS).

O texto da denúncia apresenta uma série de pontos da recentemente assinada declaração sociolaboral do Mercosul de 2015, que estariam sendo violados pelas mudanças promovidas pela reforma trabalhista ocorrida no Brasil. O texto ainda levanta a questão de que o Brasil estaria promovendo dumping social ao rebaixar direitos como forma de reduzir custos da produção, o que colocaria o Brasil em uma posição de vantagem comparativa injusta frente aos demais países do bloco. A declaração sociolaboral do mercosul prevê uma série de direitos trabalhistas individuais e coletivos que devem ser observados pelos governos, trabalhadores e empregadores dos países que compõem o bloco regional. Em seu texto, a declaração versa, entre outros assuntos, sobre a necessidade de promoção de um diálogo social permanente e do estabelecimento de mecanismos de consulta com as organizações mais representativas de trabalhadores e empregadores, o que, de acordo com o texto da denúncia apresentada na reunião da Comissão Sociolaboral do Mercosul, ocorrida em 30 de novembro, não ocorreu quando da tramitação da reforma.

A CCSCS, representando 25 milhões de trabalhadores na Argentina, Brasil, Paraguai, Bolívia, Chile e Uruguai, alerta todos os cidadãos que a reforma viola todos os direitos e garantias expressos nos direitos sociais do Mercosul e, por isso, ameaça o status de cidadania que alcançamos em um quarto de século de integração de nossos países.

Fonte: UGT 

 
 
SindSaúde
Rua Sebastião Ribeiro, 501 - CEP 17.201-180 - Centro - Jaú / SP
Fone (14) 3622-4131 - E-mail: sindsaudejau@uol.com.br