Jaú   •  
   Página Inicial
   Associe-se
   Atendimentos
   Aniversariantes
   Acordos
   Aviso Prévio
   Cálculo Aposentadoria
   Convenções Coletivas
   Colônia, Clube e Rancho
   Código de Ética
   Convênios
   Contribuições Online
   Cursos / Palestras
   Diretoria
   Eventos
   Espião Forceps
   Fale Conosco
   Galeria de Fotos
   História
   Homologação
   Links Úteis
   LEI: Auxiliar x Técnico
   Localize
   Notícias
   Seguro de Vida
   Telefones Úteis
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

NA MÍDIA: Impasse sobre descontos faz funcionários continuarem greve em Jaú


 
 
fonte: JC de Bauru

Após 17 dias de greve no Hospital Thereza Perlatti, em Jaú (47 quilômetros de Bauru), os funcionários decidiram continuar a paralisação devido a um impasse que surgiu depois de uma reunião nessa quarta-feira (3) entre sindicato e os administradores do hospital, com intermediação do vereador João Pacheco do Amaral (PMDB). A direção quer descontar os dias parados.

O advogado do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde de Jaú e Região (Sindsaúde), Nilton Agostini Volpato, informou que desconto de dias parados numa greve depende de a Justiça decretar a greve ilegal. O que não é o caso, de acordo com ele, já que o sindicato adotou todos os procedimentos previstos em lei, inclusive mantendo o efetivo mínimo de 30% em todos os setores. A greve começou no dia 18 de dezembro.

Volpato e a presidente do Sindsaúde, Edna Alves, argumentaram que os trabalhadores aceitaram encerrar a greve mesmo sem receber o décimo terceiro, mas nem assim o hospital quis rever os descontos. Para o hospital, essa revisão na postura teria de ter o aval de todo o Conselho Deliberativo. Antes, porém, o presidente do Conselho, Paulo Luiz Capelotto, disse que os conselheiros renunciaram ao mandato e que só sobrou ele.

No início da reunião ocorrida no meio da tarde a direção do hospital avisou que não tem dinheiro e nem como prever o pagamento do salário que vence no quinto dia útil de janeiro.

Os funcionários do Thereza Perlatti de Jaú cruzaram os braços por causa do não pagamento dos salários. No dia 29 de dezembro, foram quitados os vencimentos de novembro dos quase 300 funcionários e o depósito do restante do 13.º salário (só foi pago 40% da primeira parcela) e o restante será feito em janeiro. O Sindsaúde afirma que a greve continua por tempo indeterminado.

Segundo informação do Sindsaúde, o vereador João Pacheco ligou para a Secretaria de Saúde do Estado e, após muita insistência, conseguiu a informação de que o repasse de R$ 350 mil será feito no dia 5 de janeiro. E que outro repasse semelhante vai ocorrer até o fim do mês.

 

 
 
SindSaúde
Rua Sebastião Ribeiro, 501 - CEP 17.201-180 - Centro - Jaú / SP
Fone (14) 3622-4131 - E-mail: sindsaudejau@uol.com.br