Jaú   •  
   Página Inicial
   Associe-se
   Atendimentos
   Aniversariantes
   Acordos
   Aviso Prévio
   Recolhimento da Contribuição Sindical
   Convenções Coletivas
   Colônia e Clube
   Código de Ética
   Convênios
   Contribuições Online
   Cursos / Palestras
   Diretoria
   Eventos
   Espião Forceps
   Fale Conosco
   Galeria de Fotos
   História
   Homologação
   Links Úteis
   LEI: Auxiliar x Técnico
   Localize
   Notícias
   Seguro de Vida
   Sindicato Forte
   Telefones Úteis
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Salário mínimo deveria ser de R$ 3,6 mil, segundo Dieese


13/09/2018

Para fazer o cálculo, o Dieese leva em consideração o preço da cesta básica mais cara do País e considera uma família de quatro pessoas; confira

Para comprar uma cesta básica em São Paulo é preciso desembolsar, em média, R$ 432,81

O valor do salário mínimo em agosto deveria ser de R$ 3.636,04, ou seja, 3,81 vezes o mínimo atual, de R$ 954. O cálculo realizado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) leva em consideração o preço da cesta básica mais cara do País que, no caso, é de São Paulo.

No levantamento mensal, ficou demonstrado que, para comprar os alimentos essenciais que compõem a cesta básica na capital paulista, é preciso desembolsar R$ 432,81. Sendo assim, o Dieese calculou que o mínimo mensal necessário para uma família de quatro pessoas seria pouco mais de R$ 3,5 mil. Em julho , o salário deveria ter sido ainda maior, de R$ 3.674,77.

Preço da cesta básica cai em 17 das 20 capitais pesquisadas

Cesta básica de São Paulo é a mais cara, porém o valor da mesma foi reduzido em 1.05% no mês de agosto
No levantamento, utilizado para medir o salário mínimo ideal foi apurado que o valor da cesta caiu em 17 das 20 capitais pesquisadas em agosto. A cidade de Porto Alegre foi a que apresentou o principal recuo, de 3,50%. Enquanto que João Pessoa e Salvador registraram as retrações de 3,36% e 3,02%, respectivamente.

É interessante notar que, embora a capital gaúcha tenha apresentado a principal queda na pesquisa, Porto Alegre é uma das cidades que tem a terceira cesta mais cara, de R$ 419,81.

Por outro lado, Florianópolis foi a capital que obteve a variação positiva mais alta da pesquisa, chegando ao valor de R$ 431,30 com a alta de 3,86%. Manaus e Aracaju fecham a lista de cidades em que o valor da cesta básica aumentou. Nesses municípios, o preço cresceu, respectivamente, 1,41% e 0,01%.

Além disso, os menores preços médios foram observados em Salvador, aonde a cesta chega a R$ 311,92 e em São Luís que valor é de R$ 329,42. Esses valores refletem as retrações ocorridas no acumulado de 12 meses. Na capital maranhense, por exemplo, a redução chegou a 6,51%, enquanto que na cidade baiana, a queda foi de 6,08%.

Outro município que apresentou uma retração significativa em 12 meses foi Goiânia, já que o preço foi reduzido em 6,29% no acumulado chegando a R$ 362,47.

Já nas outras sete cidades, onde os valores médios da cesta básica aumentaram, os destaques foram Campo Grande, com a alta de 2,70%, e Cuiabá, que apresentou uma variação positiva de 2,57%. Nesses locais, os valores chegam, respectivamente, a R$ 364,66 e R$ 385,61.

*Com informações da Agência Brasil

Fonte:   Economia - iG

 
 
Sindicato da Saúde Jaú e Região
Rua Sebastião Ribeiro, 501 - CEP 17.201-180 - Centro - Jaú / SP
Fone (14) 3622-4131 - E-mail: sindsaudejau@uol.com.br