Jaú   •  
   Página Inicial
   Associe-se
   Atendimentos
   Aniversariantes
   Acordos Coletivos
   Aviso Prévio
   Recolhimento da Contribuição Sindical
   Convenções Coletivas
   Colônia e Clube
   Código de Ética
   Convênios
   Contribuições Online
   Cursos / Palestras
   Diretoria
   Eventos
   Espião Forceps
   Fale Conosco
   Galeria de Fotos
   História
   Homologação
   Links Úteis
   LEI: Auxiliar x Técnico
   Localize
   Notícias
   Seguro de Vida
   Sindicato Forte
   Sisnaturcard
   Telefones Úteis
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

UGT tem proposta para Previdência e já mandou para o Governo para discussão


22/01/2019

A UGT (União Geral dos Trabalhadores), segunda maior central sindical em número de trabalhadores filiados, defende reformas que beneficiem a todos os brasileiros, especialmente os mais pobres e os aposentados.  A mais urgente é a da Previdência Social.

A nossa central formulou uma proposta bem objetiva: defendemos um regime público único de previdência, igualitário para todos os brasileiros, E aqui nós incluímos também os militares, claro.  Tem que ser feita uma justiça previdenciária.  Os interesses de nenhuma corporação devem prevalecer. O Brasil está acima de tudo, entendemos.

Quem quiser uma aposentadoria maior do que o limite fixado tem a alternativa de participar de um fundo complementar, a ser instituído sem recursos públicos, obviamente.

A reforma é para dar sustentabilidade à Previdência, acabar com as desigualdades e injustiças e eliminar privilégios. E especialmente em dar transparência ao sistema. A nossa proposta sobre a reforma da previdência já foi enviada ao governo Bolsonaro, com pedido de audiência, e foi publicada no jornal Folha de S. Paulo, no dia 22 de dezembro, em texto assinado pelo presidente Ricardo Patah. Portanto, a nossa posição é pública.

No começo de janeiro, assinamos uma carta, em conjunto com as demais centrais, pedindo a abertura de diálogo com o governo. Não temos nenhuma dúvida de que esse é o caminho. Trabalharmos todos juntos, independente de ideologias, para o crescimento de nosso País. A revolução 4.0 está mudando mundo. Os novos empregos que surgirão, necessitam de trabalhadores qualificados. Essa tarefa tem que ser posta em prática já. E por todos: governo, empresários e entidades de trabalhadores.

Estamos muito preocupados com as leis trabalhistas que estão sendo mudadas, especialmente com a retirada de direitos e a precarização de todas as formas de trabalho. Temos que cuidar disso, sim, pois esses aspectos são muito importantes. Mas temos que ter, também, bem claro que, somente teremos emprego e renda, se houver desenvolvimento em todos os setores da nossa economia.

Para nossa surpresa, antes mesmo de o governo posicionar-se em relação ao nosso pedido de abertura de diálogo, as demais centrais resolveram, no dia  15, fazer uma reunião (não sabemos por qual motivo) para organizar mobilizações contra reforma da Previdência. E foi discutida também uma possível greve geral contra o projeto do governo.  

É óbvio que esse posicionamento praticamente inviabiliza o diálogo com Bolsonaro. Por termos uma posição propositiva, a UGT, embora convidada, não participou da reunião com as demais centrais. Nada contra nenhuma delas.

Estamos abertos e prontos para dialogar democraticamente com o governo sobre a reforma da Previdência e outras que forem necessárias para o benefício de toda a população.  Repetimos: estamos prontos para dialogar.  A nossa posição não mudou.

Fonte:  UGT 

 
 
Sindicato da Saúde Jaú e Região
Rua Sebastião Ribeiro, 501 - CEP 17.201-180 - Centro - Jaú / SP
Fone (14) 3622-4131 - E-mail: sindsaudejau@uol.com.br