Jaú   •  
   Página Inicial
   Associe-se
   Atendimentos
   Aniversariantes
   Acordos Coletivos
   Aviso Prévio
   Recolhimento da Contribuição Sindical
   Convenções Coletivas
   Colônia e Clube
   Código de Ética
   Convênios
   Contribuições Online
   Cursos / Palestras
   Diretoria
   Eventos
   Espião Forceps
   Fale Conosco
   Galeria de Fotos
   História
   Homologação
   Links Úteis
   LEI: Auxiliar x Técnico
   Localize
   Notícias
   Seguro de Vida
   Sindicato Forte
   Sisnaturcard
   Telefones Úteis
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Federação Paulista da Saúde começa a organizar a categoria para resistir ao golpe dado pelo governo com edição da MP 873


08/03/2019

Mais um golpe foi dado contra os trabalhadores brasileiros e o ato aconteceu em pleno carnaval. O governo federal, por meio da edição da Medida Provisória 873, atacou as liberdades individuais, o direito que os trabalhadores têm de se organizar e serem dignamente representados perante os patrões. A hora é de mostrar que os trabalhadores não vão abrir mão dos seus direitos.   

As centrais Sindicais, em reunião realizada nesta quinta-feira, dia 7 de março, consideram a MP 873, orquestrada pelo presidente Bolsonaro, um grave ataque contra o princípio da liberdade e autonomia sindical pois ela determina todos os mecanismos para inviabilizar o financiamento das entidades de classe. “E por que ele, o presidente Bolsonaro faz isso? Porque trabalhador desorganizado não tem força para reivindicar condições dignas de trabalho, salários decentes e outros benefícios só conquistados através do trabalho em prol de todos”, destaca o presidente da Federação dos Trabalhadores da Saúde do Estado de São Paulo, a Federação Paulista da Saúde, Edison Laércio de Oliveira.
 
Edison participou da reunião com as Centrais e avisa que a categoria já está sendo organizada para resistir. “Uma medida editada em pleno feriado só demonstra a má fé de quem está no comando. E isso acontece no momento em que cresce no seio da classe trabalhadora e do conjunto da sociedade a resistência ao corte de direitos de aposentadoria e previdenciários em marcha com a apresentação da proposta de Reforma da Previdência que já tramita no Congresso Nacional. ”
 
Os trabalhadores da saúde estão convocados desde já para participar no dia 22 de março próximo, do Dia Nacional de Lutas contra o fim das Aposentadorias e por uma Previdência Social Pública. Nesse dia serão realizados atos públicos, greves, paralisações e mobilizações contra o projeto da reforma da previdência do presidente Bolsonaro. Todas as ações contra a MP 873 estão sendo organizadas pelas seguintes centrais sindicais: CUT, Força Sindical, CTB, UGT, NCST, CSB, CGTB, CSP-Conlutas e Intersindical.
 
 
Sindicato da Saúde Jaú e Região
Rua Sebastião Ribeiro, 501 - CEP 17.201-180 - Centro - Jaú / SP
Fone (14) 3622-4131 - E-mail: sindsaudejau@uol.com.br