Jaú   •  
   Página Inicial
   Associe-se
   Atendimentos
   Aniversariantes
   Acordos Coletivos
   Aviso Prévio
   Recolhimento da Contribuição Sindical
   Convenções Coletivas
   Colônia e Clube
   Código de Ética
   Convênios
   Contribuições Online
   Cursos / Palestras
   Diretoria
   Eventos
   Espião Forceps
   Fale Conosco
   Galeria de Fotos
   História
   Homologação
   Links Úteis
   LEI: Auxiliar x Técnico
   Localize
   Notícias
   Seguro de Vida
   Sindicato Forte
   Sisnaturcard
   Telefones Úteis
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Quase metade dos trabalhadores já sacou os R$ 500 do FGTS


07/11/2019
 

A Caixa Econômica Federal já pagou mais de R$ 17 bilhões do Saque Imediato do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para 41,1 milhões de trabalhadores, desde 13 de setembro até a última sexta-feira (1º). Até o fim do ano, serão 96 milhões de cidadãos contemplados e R$ 40 bilhões previstos. Dos brasileiros que possuem o benefício, a Caixa já atendeu aproximadamente 43% deles. 

O próximo saque imediato do FGTS será liberado nesta sexta-feira (8) aos trabalhadores nascidos em abril e maio. O valor do saque disponível pode ser checado no site da Caixa. 
 
De acordo com Manoel Suhet, executivo do GBI (Global Business Institute), instituto de negócios para brasileiros nos EUA, 80% do saque do FGTS será de R$ 500 – valor máximo para cada conta ativa e inativa.  Para o cidadão que possui dívidas o ideal é usar o dinheiro para quitá-las a curto prazo.
 
“Já para um perfil de cidadão com possibilidade de retirada maior do que R$ 500, que tenham mais de uma conta, por exemplo, uma boa alternativa é iniciar o próprio negócio ou investir na expansão dele, seja no Brasil ou até no exterior. Uma das soluções para geração de riqueza está ligada ao empreendedorismo, que ajuda a minimizar um problema social de desemprego, sobretudo com o surgimento de microempresários e startups”, indica Suhet.
 
A crise econômica fez explodir o número de empreendedores no país. Segundo o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), são 11 milhões de novos empreendimentos nos últimos três anos e meio. Investir é uma das melhores maneiras para geração de riqueza. “Valoriza e potencializa a inovação, criatividade e parcerias estratégicas para angariar investimento de outros setores privados”, afirma o executivo.
 
Aplicar o benefício do FGTS com a intenção de prosperidade tem sido a opção de muitos brasileiros. Wellington Rodrigues, 27, analista de gestão de produtos, conta que recebeu o valor máximo do Saque Imediato e usou o dinheiro para uma pequena reforma onde mora. “O plano real era deixar na poupança e me programar para realizar uma viagem, mas optei para pagar uma mini reforma no meu apartamento. Posterguei isso por muito tempo e precisava fazer. O dinheiro veio em uma boa hora”, analisa.
 
O analista financeiro Willian Ozório, 32, optou por aplicar o benefício recebido. Ele recebeu cerca de R$ 650 somando uma conta ativa e inativa. “O recurso foi aplicado em um investimento que rende acima dos 3% remunerado pelo FGTS”, conta.
 
Juliana Inhasz é coordenadora da graduação em economia do Insper (Instituto de Ensino e Pesquisa) e explica que as contas inativas são aquelas referentes a contratos de trabalho que já foram encerrados e o trabalhador não pode efetuar o saque no momento desse encerramento. “Neste caso, o saldo continua vinculado à conta, mas não existem novos aportes de recursos já que o contrato já foi finalizado”, explica.
 
Já as contas ativas são aquelas que os contratos de trabalho ainda estão vigentes. Juliana salienta que, no caso do Saque Imediato, pode haver extração do dinheiro devido em ambas as contas.
 
A economista acredita que uma boa opção para o dinheiro é quitar as dívidas (para quem as possui) ou guardar para emergências e chama a atenção para possíveis futuras complicações: “Para o cidadão, o prejuízo maior acontece ao longo do tempo. Se não houver consciência da importância de se guardar esse recurso, o trabalhador pode ficar em situação desconfortável no futuro, quando se aposentar ou precisar do recurso e não tiver mais dinheiro para sacar”.
 
Já para Renan Pieri, professor da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo, um bom investimento é adquirir melhorias para seu negócio próprio para ajudar na produtividade. Ele aponta que investir nos estudos, fazendo um curso rápido, também é uma boa opção.
 
“Mas lembrando sempre que não é preciso ter pressa. Se a pessoa quiser esperar um tempo para pensar melhor sobre o que fazer com o dinheiro, a maior parte dos investimentos financeiros rende mais que o FGTS. Logo, não perderá dinheiro deixando-o no banco”, observa Pieri.
 
Fonte: R7
 
 
Sindicato da Saúde Jaú e Região
Rua Sebastião Ribeiro, 501 - CEP 17.201-180 - Centro - Jaú / SP
Fone (14) 3622-4131 - E-mail: sindsaudejau@uol.com.br